top of page

Genética dos bettas: introdução a cores, distribuições de cores e formatos

Atualizado: 9 de jan.



Você deve estar interessado em saber quais são as cores existentes nos bettas hoje. Olhando a imagem acima, percebemos que cada foto tem um betta diferente.


O que você aprenderá neste artigo:




As cores nos bettas


Quantas cores existem? Podemos dizer que são infinitas! Isto porque cada betta tem sua característica própria, embora peixes de mesma ninhada têm a possibilidade de replicar a beleza estética de seus pais – os bettas de linhagem!


Na década de 1960, o americano Dr. Gene Lucas, PhD em filosofia, dedicou sua tese ao estudo da genética do betta. Foi o pioneiro neste tema. Veja sua tese no link abaixo.

Dr-Gene-Lucas-Dissertation
.pdf
Fazer download de PDF • 3.94MB

No entanto, ao longo destes mais de 60 anos, muita coisa do que se pensava conhecer da genética do betta tomou novos rumos. Novas linhagens foram desenvolvidas, novos formatos (ou shapes) nos bettas surgiram, e assim por diante.


Talvez você esteja pensando: “ah, as cores devem seguir o padrão da roda de cores..”.


Veja o framework abaixo.

Roda das cores: um framework não aplicável aos bettas, salvo poucas exceções


Ou seja, cruzando-se um betta roxo com um betta verde teremos na ninhada bettas azuis, ou então, cruzando-se um betta roxo com um vermelho teremos bettas vermelho-arroxeados? Não.


Saiba que as cores não seguem a roda de cores tradicionalmente conhecida para outras finalidades, salvo poucas exceções. Os traços genéticos em conjunto interagem no fenótipo (aparência visual) de maneira mais complexa. Há genes responsáveis pelas cores, distribuição de cores e outros que são responsáveis pelos formatos do betta (o shape do peixe).


Conceitos básicos sobre o processo de formação de cores nos bettas


Bettas possuem elementos bioquímicos que definem suas cores, chamados cromatóforos. Cromatóforos são moléculas divididas em duas categorias: iridóforos e pigmentos.


Vamos a uma analogia lúdica. Imagine potes de tinta como mostrado na imagem abaixo.


No primeiro pote, temos os brilhos dos bettas: os iridóforos (azul, verde e acobreado). Ainda, teremos um pote com tinta preta (melanóforos) e outros com as cores vermelho ou outras, também pigmentos, como mostrado na imagem.


Genes atuam resultando na ativação ou desativação de traços genéticos dos cromatóforos


Obviamente não temos tinta nas escamas dos bettas, e sim genes que atuam em conjunto resultando nas características do betta (sua beleza estética, caracterizada cor cores, distribuição de cores e formatos – o fenótipo).


Veja as fotos no quadro abaixo:


Perceba que cada betta tem uma, duas ou mais cores. Entre diferentes exemplares de bettas, mesmo tendo a mesma cor, alguns podem ser mais claros e outros mais escuros, em diferentes tonalidades.


Tonalidade da cor: entenda o que é

A tonalidade consiste se a cor é mais clara ou escura. Lembra da cor preta? É ela que dá este efeito, com maior ou menor quantidade de melanóforos. Ou seja, quanto mais melanóforos, mais escura é a cor do betta, podendo chegar à completa cobertura pela cor preta em todo o betta (corpo + nadadeiras).


O modelo teórico de camadas de cores nos bettas


O modelo teórico de cor nos bettas obedece ao mesmo esquema de nosso exemplo. Ele é necessário para que entendamos a genética que existe por trás destas cores e distribuição de cores.


Este modelo teórico visa melhorar nossa percepção, auxiliando a quem quiser entender a genética do betta para a identificação dos possíveis genes envolvidos.


Há, portanto, 4 camadas de cores nos bettas:

  • Camada 1: cores iridescentes – cores azuis, verde e acobreado.

  • Camada 2: cor preta – os melânicos. Se é escuro ou claro.

  • Camadas 3 e 4: cores vermelhas e cores não-vermelhas – rosado, amarelo e outros;


Lembre-se que este modelo é teórico, que apenas auxilia na identificação dos possíveis genes que estão atuando.


Conheça algumas das cores de cada camada, suas características e genótipo:

Camada

Cor e Genótipo

Foto

1

Azul Royal


Genótipo: Bl bl nm nm


1

Azul aço


Genótipo: bl bl nm nm



1

Azul Turquesa


Genótipo: Bl Bl nm nm



1

Intense Green


Genótipo: Bl Bl * *



2

Melano


Genótipo: m m



3

Vermelho cereja


Genótipo: Nr Nr ou Nr nr



4

Amarelo Intenso


Genótipo: sg sg


Considere apenas a cor das nadadeiras como referência



E tantas outras.


Com relação às cores e a distribuição de cores, temos mais de 50 traços genéticos nos bettas.


Estes traços, ativados ou não, dão origem ao fenótipo. Note, portanto, que destes +50 traços combinados se origina o fenótipo do betta. Você poderá ter, por exemplo, um betta sólido azul royal (Bl bl nm nm). Da mesma maneira, poderá ter um betta multicolorido azul com infiltração nas nadadeiras caudal e anal na cor vermelha. Esta infiltração diz respeito a outro traço genético, chamado de variegated fins (ou nadadeiras matizadas).


Recomendamos que você leia nosso artigo Linhagem e pedigree: conceitos básicos antes de continuar se estes conceitos são novos para você.


E assim cada betta tem seu DNA.


O betta azul royal tem aspecto como este: a cor azul predominante em todas as nadadeiras – pélvicas, inclusive – e preferencialmente nas peitorais também. Neste, em específico, há a presença do traço blond, que reduz a quantidade de melanóforos (base preta – camada 2) em parte ou todo o corpo e/ou nadadeiras do betta, acendendo o betta como resultado da tonalidade mais clara da cor sobre ele.



Ainda, em nosso artigo Peixe betta azul: características e genética você tem mais informações sobre os azuis. Recomendamos que faça sua leitura.


Alguns números quanto a fenótipos e genótipos nos bettas e nosso Curso sobre a Genética do Betta


Atualmente, dezenas de traços genéticos compõem o estudo da genética do betta quanto a cores, distribuição de cores e formatos. Temos identificados mais de 100 genótipos, dando origem a mais de 70 traços genéticos no betta.


Neste sentido, imagine o ferramental que você tem para determinar quais deles ocorrerão nas suas ninhadas!


Ou seja, com conhecimento de sua implicação no fenótipo, é um significativo conjunto de ferramentas que nos permite prever qual característica estética bettas terão na ninhada. Além disso, com este conhecimento você poderá projetar bettas, o que é um novo horizonte no mundo dos bettas!


Mas, o que é projetar bettas?

Projetar bettas consiste em determinar um objetivo, identificar seus traços e genótipos para obtê-lo, iniciar a busca de matrizes, confirmando suas características genéticas para, então, direcionar a criação seletiva ao objetivo almejado.


A seleção de matrizes como trunfo para a obtenção de bettas de linhagem


Todo este conjunto de informações é importante para a correta seleção de matrizes, ou seja, os bettas que você selecionará para reproduzir e gerar descendentes.


Importante

Considere que o trabalho, empenho, custos e tempo dedicados são os mesmos se você projetar ou não projetar seus bettas!


Por isso que nós, do Betta Project, sempre dizemos que o conhecimento da genética do betta é imprescindível para que você possa melhorar seu plantel.


Ainda, lançar-se à sorte na criação de bettas traz, na maioria das vezes, resultados frustrantes.


Como você possivelmente é um criador de bettas, não seria muito mais interessante projetar bettas? Lembre-se que isto é resultado, na prática, do processo de seleção das matrizes – e nada mais!


Uma vez que você dominou o manejo, reproduzir bettas cujos descendentes não condizem com suas expectativas é frustrante. Sabemos disso!


E é por isso que criamos este site, curso, artigos e vídeos.


Linhagens de bettas


O peixe betta possui linhagens já conhecidas e fixadas. Neste sentido, há dois artigos que você deve conhecer sobre este assunto:

  1. Linhagens de bettas: classificação e detalhes técnicos: apresenta as linhagens atualmente existentes por meio de videos. Indica também ebook sobre linhagens que montamos para quem quer o conteúdo por escrito, alinhado com os vídeos. Facilita o estudo e anotações.

  2. Por que os traços marmore (marble) e perda de vermelho (red loss) inviabilizam linhagens em bettas: explica as complicações que estes traços genéticos trazem ao criador quando da fixação de características de beleza estética (cores e distribuição de cores). Peixes com estes traços genéticos vem sendo reproduzidos continuamente. Entenda a problemática.

  3. Linhagem e pedigree: conceitos básicos: pedigree e linhagem são coisas diferentes. Entenda.


Vale a pena conferir se você quer aprofundar seus estudos!


A correta seleção de matrizes é imprescindível para você trilhar no caminho certo rumo ao seu objetivo.


Quer aprender mais sobre a genética do betta?


Conheça nosso Curso sobre a Genética do Betta, um material que consolida tudo o que se pensa saber sobre sua aplicação prática para seleção de matrizes, trazendo novas e consagradas modelagens genéticas para a criação seletiva de bettas.


Gostou do artigo? Indique para seus amigos!

Desejamos sucesso com seus bettas.


Referências:


[1] Arquivo interno Betta Project

[2] Imagens da Internet

Comments


Commenting has been turned off.
bottom of page