top of page

Guia sobre as principais características do peixe betta

Atualizado: 30 de jan.

Desenvolvemos neste artigo um resumo das características deste magnífico peixe ornamental.



Se você estiver iniciando no hobby com um betta de petshop – caminho geralmente trilhado pelos iniciantes no hobby -, saiba que existem muitas informações a conhecer sobre este peixe. Parabéns por adquirir mais informações sobre o assunto. Realmente, peixes domesticados em certas vezes sofrem por desinformação do hobbysta no manejo.


Trazemos neste artigo, com linguagem simples e foco prático, de fácil compreensão, a origem do betta, sua história, habitat natural, domesticação, o processo de formação de cores, distribuição destas cores, formatos (as características do shape deste animal), como reproduzir bettas, tamanhos de aquários para manter bettas, características da água, iluminação, sua genética, exposições de bettas mundo afora, e muito mais.


Esperamos que este artigo seja proveitoso a você! Boa leitura.


Índice


Introdução: a origem dos bettas


Bettas são originados na Tailândia e regiões próximas do sudeste asiático. Mas hoje em dia, existem no mundo inteiro!


As pessoas criam bettas por diversão ou lucro, e com frequência, lagos e córregos estão com estes peixes, uma vez que pessoas descartam seus animais excedentes nestes locais. Há lugares, contudo, em que eles sobrevivem a seus predadores, alterando assim a fauna do local.


Criadores os mantém pela beleza decorativa, selecionam os melhores exemplares para reprodução. E aqui cabe um parêntese: se você quer replicabilidade dos pais, é importante que estude a genética do betta, pois sem ela, se lançará à sorte nos cruzamentos.


Há criadores que os mantém pelo grau de agressividade, para fins de rinha (briga entre exemplares) e apostas. Não é nosso foco aqui, ademais é uma prática muito antiga em seu país de origem e arredores. No Brasil é entendido como crime de maus-tratos contra animais. Atualmente, espécies de rinha são o Betta splendens, Betta smaragdina, Betta imbellis, Betta prima e Betta pi.


De acordo com Goldstein (2004), há notícia de que bettas foram importados da Tailândia para a França em 1874, e 19 anos depois foi descrito seu procedimento para reprodução. A partir disso, foi rapidamente disseminado e distribuído pela Europa. Erroneamente, foi chamado de Betta pugnax, pois era o único betta catalogado à época. E assim foi sucessivamente distribuído no mundo inteiro, cada região à sua época por seus residentes aquaristas interessados.


O Betta splendens se tornou um dos mais populares entre aquaristas. São especialmente decorativos, como veremos neste artigo.


Ainda, de acordo com Goldstein (2004), os primeiros bettas importados da Asia já eram long fin. Veja nosso artigo sobre a origem do betta long fin que, segundo pesquisas do Sr. Precha Jintasaerewonge, tem sua origem desconhecida, uma vez que o Betta splendens selvagem tem nadadeiras curtas. Veja a foto a seguir. Ela mostra um exemplar de Betta splendens selvagem. Note suas nadadeiras caudal e anal são curtas frente aos que apresentaremos posteriormente.



Betta splendens (selvagem)

Fonte: Internet


Habitat natural

Originalmente encontrado em arrozais tailandeses, o betta tem como preferência de alimentação a ingestão de insetos na natureza. Em dado momento, iniciou-se a captura de exemplares e, a partir disso, a domesticação do betta tomou forma, até o ponto que temos atualmente.


A criação de bettas de diferentes espécies


Cruzamentos e a origem do peixe betta híbrido

Com exceção dos locais onde a rinha de bettas ainda é praticada, somos da opinião que todos os demais cruzamentos visam a manutenção ou incremento da beleza estética dos bettas.


Dada a mistura entre diferentes espécies que vemos atualmente, o betta que conhecemos é, via de regra, um peixe híbrido viável e fértil.


No entanto, o betta que temos em aquário, comprado de criadores ou lojas de aquarismo, é um peixe híbrido, salvo exceções, quando especificada a origem do animal pelo criador. Naturalmente, há quem ainda mantém os bettas selvagens para diferentes finalidades.


Não aprofundaremos aqui mais este assunto, todavia você pode consultar a web para mais informações sobre bettas selvagens, peixes híbridos, viabilidade e fertilidade.

O Betta splendens de hoje, nomeado neste artigo como betta, é um peixe magnífico. Possui infinitas cores, tonalidades, formatos e arranjo destas cores que tornam cada exemplar único. Mesmo em linhagens, há aqueles que se diferem um do outro, especialmente (mas não de maneira exclusiva) quanto a formatos, herdando as cores e arranjo de cores de seus pais. Mais adiante veremos o que isto vem a ser. A seguir, imagens de alguns bettas com legenda segundo sua classificação.



Betta multicolorido long fin (nadadeira caudal e anal alongadas)



Betta Vermelho Cereja

Observe o tamanho das nadadeiras e sua proporção



Betta Chocolate



Há outros – muitos! – os quais veremos mais adiante.


Classificação dos bettas


Nossa proposição de classificação dos bettas quanto a cores e arranjo de cores

Bettas possuem diversas categorias. Saiba que estas categorias são controversas mundo afora. Não há um padrão ainda mundialmente aceito, unânime, entre criadores e, principalmente, expositores.


Em função disto, nós do Betta Project, temos nossa proposição de classificação quanto às cores e arranjos de cores para os bettas. Veja o mapa mental a seguir:


Vamos a alguns exemplos práticos.

Bettas sólidos: possuem a mesma cor no corpo e nadadeiras. Veja exemplos:

Betta Azul Royal


Betta Milky (ou White)



Betta Amarelo



Betta Rosado



Betta Vermelho Cereja



[Betta Vermelho Sangue | a ser desenvolvido]

Seria um betta vermelho sólido (mesmo vermelho de red dragons - abaixo um exemplo da cor vermelho sangue)


Quer saber mais sobre a classificação dos bettas? Bicolores, multicoloridos, multicoloridos especiais, e assim por diante..


Temos um ebook totalmente gratuito que trata disto. Ele indica as características técnicas de cada classificação (sólidos, bicolores, multicoloridos comuns, multicoloridos instáveis, multicoloridos especiais e assim por diante). É um material muito rico e preciso, com know-how de mais de 50 anos lidando com os bettas, fundamentado em padrões internacionais. Aproveite e faça o download clicando no banner abaixo.



Cores e tonalidades de cor nos bettas


O processo de formação de cores nos bettas tem sua lógica. Quem não conhece sua origem, pensa que o processo de formação de cores é fruto do acaso quando bettas são cruzados e geram descendentes.


Em nosso artigo sobre o processo de formação de cores nos bettas, procuramos, de maneira introdutória e lúdica, explicar como funciona sua dinâmica.


Informações detalhadas, práticas e técnicas você pode aprender em nosso Curso sobre a Genética do Betta. Ele será sua caixa de ferramentas para a seleção de matrizes, aplicando assim a reprodução seletiva (ou criação seletiva), tendo conhecimento genético do histórico das matrizes e suas ninhadas. Desenvolveremos o estudo aprofundado na linhagem black salamander, que atualmente não existe, ao final do curso.



Os principais elementos que compõem o formato (shape) dos betttas


O shape do animal, assim como em cachorros, define suas características físicas. Em cachorros, você verá inúmeras! Por exemplo: comprimento das patas, tamanho do rabo, tamanho das orelhas, alinhamento das orelhas, altura do animal no dorso e na cabeça, e assim por diante. Cada animal possui as suas.


No caso dos bettas, o shape reside nas nadadeiras, características de ramificação destas, número de ramificações, tamanho das nadadeiras, tamanho do corpo, massa corporal, geometria do dorso, e assim por diante. Vamos a alguns exemplos:


a) Estrutura da nadadeira caudal: é definido pelo número de ramificações que a nadadeira caudal possui. Diz respeito à formação do tecido da caudal. Ex: 2R, 4R, 8R, 16R. Veja a representação abaixo.




b) Equilíbrio estético: deve haver proporcionalidade entre o corpo e nadadeiras do betta. São preferíveis nadadeiras proporcionais ao tamanho do corpo, ou seja, se possuírem tamanho exacerbado, dificultam o nado do peixe, por demandarem muito esforço para sua movimentação.



Veja na imagem acima a desproporção das nadadeiras deste betta.


c) Formato das caudais: há três grupos. São eles:

Caudal em formato de vela – o chamado veil tail; Caudal redonda – o chamado round tail; Caudal em delta: os raios caudais externos são mais abertos, de 75º a 180º, onde:

i. Super Delta: menor que 180º

ii. HM (Half Moon): 180º

iii. OHM (Over Half Moon): > 180º


Black Dragon Over Half Moon (OHM)


E assim por diante.


Há ainda características como borda das nadadeiras, tipos de superfície da nadadeira caudal, tamanho das nadadeiras peitorais, tamanho das nadadeiras caudal e anal.


Veja abaixo uma representação das partes do corpo do betta quanto a formatos:


Legenda:

· 1: Nadadeira dorsal · 2: Nadadeira caudal · 3: Nadadeira anal · 4: Nadadeira peitoral · 5: Nadadeira ventral ou pélvica · 6: Opérculo ou cobertura das guelras · 7: Pedúnculo caudal · 8: Olho · 9: Boca


Adquirindo bettas


Naturalmente, você pode adquirir bettas com problemas de saúde, principalmente aqueles debilitados ou maltratados pelo criador ou lojista. Isto faz parte do contexto, e deve ser considerado. Muitas vezes criamos sentimento pela condição daquele animal à venda, o compramos, tratamos e damos condição saudável para sua vida, chegando a selecioná-lo como matriz (para reproduzir). Isto é bastante comum.


Bettas comuns e bettas de linhagem


Igualmente à classificação de bettas, há criadores que discordam do que seja uma linhagem, atribuindo esta qualidade a bettas que não são de linhagem.


Somos da opinião que isto irá maturar ao longo dos anos; é uma questão de desinformação apenas, visto que a variedade de bettas é significativa, onde cada exemplar é único, visto que há diferentes shapes e tonalidades de cor. Bettas de mesma linhagem apresentam suas cores e distribuição de cores iguais ao longo de gerações subsequentes.


Ou seja, sua beleza e aparência estética não muda ao longo das gerações, traços genéticos estes que são escolhidos pelo criador quando fixa sua linhagem.


Como criar uma linhagem de bettas


A linhagem do betta é determinada pelo criador. A premissa é que o fenótipo seja estável ao longo das gerações subsequentes, caso contrário, não há fixação de cores e distribuição de cores (e shape, se assim desejar).



Fundamentos para desenvolver uma linhagem de bettas:


  1. Defina a cor(es) e a distribuição de cor(es), essencialmente. O shape você pode fazer depois, se assim desejar. Mas sempre comece com as cores e distribuição de cores - é uma boa prática. Fixará, portanto, um objetivo;

  2. Defina os traços genéticos necessários para atingir seu objetivo. Utilize seu conhecimento na genética do betta para desenvolver esta etapa;

  3. Busque matrizes que possuam histórico genético conhecido, com traços que vão ao encontro do seu objetivo;

  4. Realize cruzamentos de teste, se necessário, para atestar a presença ou ausência de determinados traços genéticos nas matrizes. É importante frisar que a marmorização ou perda de vermelho não podem existir para que haja a manutenção da beleza estética do betta;

  5. Cruze as matrizes;

  6. Selecione exemplares que mais se assemelham ao seu objetivo;

  7. Repeta as etapas 5 e 6 até atingir seu objetivo, sempre registrando suas observações dos traços genéticos presentes nas ninhadas;

  8. Estabilize a linhagem. Aqui você pode também refinar ainda mais seu objetivo.


Quer saber mais? Acesse nosso artigo sobre como desenvolver linhagens de bettas!

Bettas possuem infinitas combinações de cores, diferente de outras espécies de peixes.


O padrão (ou classificação) vai ao encontro daquelas que vimos anteriormente. Quer saber mais? Clique na imagem abaixo para acessar a página do ebook.



Reprodução: como fazê-la


A reprodução do betta (manejo reprodutivo) possui uma fase de planejamento precedente à colocação das matrizes para reprodução.


A seleção do tamanho do aquário, aquecimento, local onde ficará, condição de iluminação, verificação da saúde do animal, seleção das matrizes e alguns outros quesitos.


Depois de você colocar o casal para reproduzir no aquário ou recipiente devidamente selecionado, haverá cuidados para que não haja morte ou briga excessiva entre o casal.

Temos um curso sobre o manejo reprodutivo do betta. Quer fazê-lo? É gratuito!


Clique aqui e faça já o curso sobre Manejo Reprodutivo do Betta. São 3 vídeos que totalizam 1h05min de video aulas, indo desde a seleção do aquário até alimentos a nutrir o juvenis até a idade adulta. Conheça!


Mais gratificante ainda é quando você conseguiu antever quais fenótipos (características visuais) serão possíveis na ninhada. Você traçou um objetivo e constata que está no caminho correto (ou incorreto!). Nesta fase, um novo horizonte se abre fundamentado no conhecimento da genética do betta.


Doenças em bettas


Atualmente, especialmente com o advento da Internet, diversas publicações existem sobre a análise e tratamento das condições de saúde dos bettas e outros peixes ornamentais. Criadores, de maneira geral, usam sal (preferencialmente sem iodo) ou com o iodo previamente removido com produtos próprios para isto (condicionadores de água), como agente profilático. Não entraremos em detalhamento nisto, todavia lembre-se que o primeiro quesito para que haja saúde do animal é água limpa, sem compostos nitrogenados (amônia, nitrito, nitrato) dissolvidos na água e minerais, bem como outros elementos químicos.


Aquários para bettas


Entendemos que existem diferentes tamanhos de aquário nos quais os bettas são mantidos em diferentes momentos de vida.


Veja:


  • Aquário comunitário: há quem mantenha bettas em aquários comunitários. Em geral, machos ficam tímidos e não conseguem fazer ninho quando houver uma movimentação da água muito forte (aeradores ou filtros, essencialmente). Criadores, em geral, os mantêm (os bettas machos) em aquários individuais, exclusivos. Além disso, deve-se ter cuidado, nestes casos, com a mistura de peixes que você fizer: cuidado com as nadadeiras deles, pois há espécies que realmente deixam de ser compatíveis por mordiscarem suas nadadeiras, o que leva o peixe a níveis de stress elevados, podendo chegar à morte.


Betta em aquário comunitário


  • Aquários individuais: bettas são peixes territorialistas. Geralmente, machos não convivem em mesmo aquário. Se colocados em aquários de grandes dimensões, podem conviver, cada um no seu canto – como na natureza. Mas isto é relativo. Não podemos aqui sugerir uma área superficial mínima por betta por não termos testado isto. Convém lembrar, no entanto, que alevinos e juvenis crescem, mesmo com sexo oposto, em mesmo ambiente. Ou seja, a ninhada (ou parte desta) fica em um aquário maior àquele da reprodução (geralmente este é pequeno). Os juvenis crescem juntos. E partir de dado momento o criador deve separá-los para minimizar e evitar brigas e até morte.

Aquário com filtragem, plantas e exclusivo para um betta


  • Beteiras e demais recipientes: bettas sobrevivem - preste atenção neste verbo - também em volumes de água muito pequenos, tais como 500 ml. Há criadores que os mantém em recipientes ou beteiras pequenas de maneira a tê-los isolados uns dos outros.


Aquários pequenos, beteiras e recipientes, tais como potes de sorvete (ou plásticos) e potes de vidro para conserva, também são de uso corriqueiro



Você, entusiasta de bettas, deve fazer sua escolha sobre como manter seu pet ou matriz, caso se torne criador. Não emitiremos opinião aqui sobre o tamanho de aquário ideal, ou mínimo. Mas lembre-se que na natureza (arrozais, poças e pequenos lagos) são livres e podem nadar com todo seu esplendor, mantendo uma boa saúde graças ao exercício (nadarem livremente).


É importante também ressaltar que água limpa, com possibilidade de o betta se exercitar, sem exageros, promove uma vida longeva ao animal. Ex: água turbulenta, por bombas submersas, tendem a estressar o betta, pois por natureza é um peixe que se movimenta pouco em relação a outras espécies.


Aprimoramento genético: a aplicação da criação seletiva em bettas


Aqui inicia um tema temos muito apreço: a criação seletiva, o aprimoramento genético e a melhoria do plantel de bettas.


Temos materiais já desenvolvidos sobre isto. Clique no link de cada um para mais informações.



Exposições de bettas


Você sabia que bettas são também expostos em locais para visitação pública e/ou de criadores? No mundo inteiro, associações e outras organizações, senão grupos de aquaristas criadores, organizam suas exposições locais. Com o surgimento da Internet, pode-se hoje fazer exposições virtuais. São bastante interessantes, envolvem premiação, e se está buscando cada vez mais melhores métodos para o julgamento de bettas.


Nós, do Betta Project, temos muito apreço pelas exposições de bettas. Temos propostas internamente desenvolvidas para o julgamento de bettas, visto que há lacunas e pontos controversos mundo afora. É, portanto, fonte de aprendizado, desenvolvimento e discussão de novas abordagens. Isto fomenta o hobby, as pessoas e melhora cada vez mais as exposições de bettas – e outros animais!


Betta Project – A DNA Experience


Nossa intenção é fomentar o hobby, despertando o interesse de criadores pela criação seletiva de bettas. Somente através dela teremos matrizes cada vez mais belas e com fenótipo estável, o que garante a perpetuação de traços genéticos que esta qualidade conferem.


Veja a página Quem somos de nosso site. Estamos há alguns anos trabalhando com esta visão de futuro.


Panorama do mundo dos bettas – nossa visão


A domesticação do betta e seu livre comércio, salvo exceções, mundo afora, juntamente com a divulgação na Internet, torna muito fácil a escolha do betta pela sua beleza estética. O criador não precisa trocar cartas com outro, juntando fotos e registros históricos das ninhadas; um simples e-mail pode resolver tudo, senão ainda a consulta em sites de venda de bettas, tais como sites de particulares e grupos e páginas em redes sociais.


Realmente, hoje em dia é muito fácil em relação há 30 anos, antes da Internet. Considere que a Internet ficou popular a partir do fim da década de 1990, mas ainda hoje há locais que não possuem acesso por questões de desenvolvimento econômico ou outras.


Atualmente, paralelamente ao Betta Project – A DNA Experience, estamos desenvolvendo uma plataforma por nós concebida para cadastro e pesquisa de bettas.

Da mesma maneira que nossos materiais, acreditamos que possa ajudar criadores para a melhoria do plantel de bettas.


Conheça nosso Curso sobre a Genética do Betta e reveja os vídeos já indicados neste artigo.


Temos muita vontade de ajudar criadores a melhorar o plantel de bettas, e trabalhamos para oferecer ferramentas e informações para a realização disso.



Referências

· Arquivo interno Betta Project.

· Goldstein, Robert J. “The Betta Handbook." (2004).

· Imagens da Internet.

Comments


Commenting has been turned off.
bottom of page